quarta-feira, julho 04, 2007

Sobre Byafras e Noêmias Duques

Quando Noêmia Duque 'estourou' na web com o sucesso Entrei no Seu Site Ontem, foi uma zoação geral. Afinal, ao invés de dizer /aipod/ ela dizia /ipode/, ainda por cima fazendo trocadilho!

Eu sei que aquelas canções
Você armazenou num Ipod
E pode uma coisa dessas?

Só que hoje ao organizar umas músicas acabei me deparando com Byafra. E ele faz a mesma coisa que a Noêmia!
Byafra canta a palavra jazz, algo parecido com /djezz/ ou /djeiz/ (=P), como se fosse /jás/ (aquele mesmo de 'Aqui Jás Fulano'. Não para por aí, ele também tenta rimar jazz com mais.

Rock do bom ou quem sabe jazz
Som sobre som bem mais bem mais
Nota mental: escrever menos sobre música.

7 Comments:

Ana Martins said...

Repare que a Perla na sua versão de "Totalmente Demais", canta, sem medo de ser feliz, "rock'n roll pra ela é jazz", e fala jazz justamente da mesma forma que Byafra. Influências.

Lih said...

poxaa, adorei seu blog.
tem uns posts engraçados, massa!
adorei a tendência hortifruti!
=)

bjinhos

Anônimo said...

Afinal qual é a crítica. O compositor-poeta tem "licença" para fazer essas subversões. Caetano tb fala /jaz/. Linguísticamente esse aportuguesamento do termo faz sentido, já que falamos português. Tanto Caetano quanto a Noemia Duque falam inglês, ainda não lhe ocorreu que o trocadilho por mais infame que te pareça é intencional. Se liga manuela!Abaixo o preconceito!

Nana Flash said...

Lembrei daquela fatídica "Eu vou te deletá do meu orcútchi... eu vou te bloquear no êmi-ési-êeeeni.." kkkkk
Adoro qdo vc fala de musica :D
Bjs
Ps: nao matei, mas tive uma crise de riso. Agora toda vez q quero algo, chantageio com o nariz do Shrek.

Mymi said...

Querido Anônimo,
a maioria das pessoas usa Linguística como desculpa para cometar desvios da norma.
Segundo, Caetano Veloso é uma merda.

Li said...

Eu adoro seu blog de qualquer jeito!!!

Beijo!

Shanti said...

Sim, sim, mas se eu fosse um anônimo criticando o post, falaria que o correto é "jaz", do verbo jazer, não "jás". E que Biafra não é com Y.

Então, a defesa da Mymi seria baseada no comentário do verdadeiro anônimo, sobre a "licença" para fazer subversões. Afinal, se um "compositor-poeta" pode, um blogueiro também pode. E que ninguém realmente sabe como se escreve Biafra.

O que eu quero dizer é que crítico anônimo de cu é rola. E que eu tinha visto o trocadilho jazz/jaz numa HQ do Penadinho. Estava no túmulo de um músico.

A questão agora é: de quem é a piada: Mauricio de Sousa ou Byafra?

ps: procurei pela música no Google e o primeiro link é do blog, Mymi! Legal!