quarta-feira, janeiro 09, 2008

Uma canção, duas perspectivas

Parece que o livro dos 1001 Discos vai me dar assunto pra post pro resto da vida.

Hoje baixei o primeiro disco da Joan Baez, de 1960, sem grandes expectativas. Folk... Eu até encaro Bob Dylan, às vezes, mas até hoje não entendo por que. Comecei a ouvir e não gostei. Comecei a me maldizer por sempre escolher os piores discos do livro pra baixar, quando começou a tocar Henry Martin.

Sabe aquele apito que toca sempre que você percebe que conhece/já viu algo, mesmo sem saber de onde? Então, meu apito tocou. Uma pesquisa rápida no Google e descobri que era uma canção tradicional da Escócia, e que eu provavelmente já ouvi ao menos a melodia em algum filme de época.

Olhando a resenha do disco, que não tinha lido até então, soube que o conteúdo era composto de canções tradicionais. Minha curiosidade aguçou e comecei a pesquisar sobre as músicas seguintes. Foi aí que começou a tocar uma velha conhecida: The House of the Rising Sun.

Essa canção é um folk tradicional norte-americano, de autoria desconhecida, que pode ser cantado através de duas perspectivas, a masculina, mais conhecida com o grupo The Animals, e a feminina, mais conhecida com a própria Joan Baez.

Com uma letra marcada pelo mistério de sua origem e pela ambiguidade sobre o que seria a tal casa do Sol Nascente (uns dizem ser um prostíbulo e outros uma prisão), a música me pegou totalmente e com ela o resto do disco.

Encontrei mais uma boa canção pras tardes de karaokê.

3 Comments:

Agustinho said...

Ótimo post!
Parece que em Forest Gump toca uma música dela, ou um cover dela.

A pequena pensadora said...

eu tive um choque óptico quando abri o blog... fazia tempo que não vinha por aqui... queria deixar uma sugestão: tons pastéis, por favor?

Acantha said...

Minha mãe cantava a "versão brasileira" dessa música. Muito linda..